TAXAS DE SUICÍDIO CAEM APÓS LEGALIZAÇÃO DO CASAMENTO LGBT NA SUÉCIA E DINAMARCA

As taxas de suicídio entre as pessoas do mesmo sexo caíram significativamente na Dinamarca e na Suécia desde a legalização do casamento gay, de acordo com um estudo, embora os homossexuais continuem mais propensos a tirar a própria vida.

O estudo conjunto do Instituto Dinamarquês de Pesquisa para Prevenção do Suicídio e pesquisadores da Universidade de Estocolmo compararam as taxas de suicídio de pessoas em relações homossexuais e heterossexuais nos períodos 1989-2002 e 2003-16.

A Dinamarca se tornou o primeiro país do mundo a permitir parcerias civis entre pessoas do mesmo sexo em 1989, com a vizinha Suécia seis anos depois. O casamento entre pessoas do mesmo sexo, agora autorizado em 28 países, tornou-se legal na Suécia em 2009 e na Dinamarca em 2012.

Os pesquisadores descobriram que, entre os dois períodos, o número de suicídios entre pessoas em uniões do mesmo sexo caiu 46%, comparado a um declínio de cerca de 28% no número de suicídios por pessoas em relacionamentos heterossexuais.

“Embora as taxas de suicídio nas populações em geral da Dinamarca e da Suécia tenham diminuído nas últimas décadas, a taxa de pessoas que vivem em casamento do mesmo sexo diminuiu em um ritmo mais acentuado, o que não foi observado anteriormente”, o estudo, que acompanhou 28.000 pessoas em parcerias do mesmo sexo por uma média de 11 anos, conclui.

Annette Erlangsen, autora principal, sugeriu que, juntamente com outras leis de direitos dos gays, o casamento entre pessoas do mesmo sexo pode ter reduzido os sentimentos de estigmatização social entre algumas pessoas homossexuais. “Ser casado é protetor contra o suicídio” , disse ela à Thomson Reuters Foundation .

Mas ela observou que o estudo, publicado no Journal of Epidemiology and Community Health, ainda mostrava que mais que o dobro de pessoas em casamentos e uniões entre pessoas do mesmo sexo se matavam do que aquelas em casamentos do mesmo sexo.

“É claro que é positivo ver que a taxa de suicídios quase caiu pela metade. Mas continua preocupantemente alto, especialmente considerando que a taxa de suicídio pode ser maior entre pessoas não casadas ” , disse ela ao jornal dinamarquês Information.

De acordo com um relatório de 2018 comparando 35 estudos de 10 países, pessoas LGBT + jovens têm pelo menos três vezes mais chances de tentar suicídio do que pessoas heterossexuais da mesma idade, embora o risco possa ser reduzido pela legislação pró-igualdade.

Apesar da reputação da Escandinávia como líder progressista em direitos LGBT +, um estudo publicado no mês passado revelou que quase um terço dos homens dinamarqueses consideravam o sexo entre dois homens moralmente errado.

Fonte: The Guardian

Siga o Alguém Avisa no seu Canal no YouTube e confira conteúdos especiais.