ARTISTA JULHA FRANZ REALIZA PERFORMANCE QUEER NO CENTRO DE PORTO ALEGRE

INTERNATIONAL CRHYSIS
performance, 2019

Durante os meses que passou estudando na New York University, a artista Julha Franz conta que aproveitou para procurar referências de ícones queer da cidade. Revela que encontrou “International Chrysis”, mulher transsexual que arrasava como drag queen nos clubs de lá nos anos 70. Era uma lenda. Ela morreu em 1990 e a comunidade LGBTQ+ se comoveu muito. Pra transformar a dor em alegria, assim como Chrysis fazia em seu trabalho, organizaram um happening: saíram jogando glitter pelas ruas de Nova York em sua homenagem.

A obra INTERNATIONAL CHRYSIS (prevista pra acontecer em diferentes cidades do mundo, foi feita em Nova York em junho deste ano e agora em Porto Alegre) parte dessa história questiona a relação das pessoas queer com o espaço público. A partir da vulnerabilidade, evidencia as relações de poder e marginalidade das nossas corpas.

A performance contou com a ajuda e o olhar sensível de Vitória Proença Natasha Valenzuela e Giulia Müller equipe de mulheres que não só colaboraram para a performance acontecer, mas também deixaram Julha mais segura “porque colocar a corpa drag no chão, no meio do espaço público, durante horas, no tenso-presente que vivemos, não foi tão simples quanto parece”, revela a artista.

Siga o Alguém Avisa no seu Canal no YouTube e confira conteúdos especiais.