SETE FATOS IMPORTANTES SOBRE BISSEXUAIS QUE VOCÊ DESCONHECE

É preciso cada vez mais criar conscientização sobre as disparidades que a comunidade bissexual enfrenta. O Coletivo amora apresenta aqui sete questões que você provavelmente não sabia sobre saúde bissexual:
 

1. O relatório da Human Rights Campaign (HRC) de 2014 – “Supporting and Caring for Our Bisexual Youth” [Apoiando e Cuidando da Juventude Bissexual], encontrou que, comparado com pessoas gays e lésbicas, a juventude bissexual, pansexual e queer teve maior probabilidade de ser excluída e agredida, menor probabilidade de ter adultos preocupados para buscarem apoio quando se sentissem triste e menor probabilidade de reportarem estarem felizes.

2. O relatório de 2016 da The Movement Advancement Project – “Invisible Majority: The Disparities Facing Bisexual People and How To Remedy Them” [Maioridade Invisível: as disparidades que as pessoas bissexuais enfrentam e como remediá-las], encontrou taxas significantemente mais baixas de graduação e frequência universitária entre alunos bissexuais. Pessoas que se identificam como bissexuais foram aproximadamente 47% menos prováveis de matricularem-se na faculdade do que respondentes identificados como heterossexuais.

3. O Pew Research Center encontrou na sua pesquisa de LGBTs americanos de 2013 que enquanto 77% dos homens gays e 71% das lésbicas dizem que “a maioria ou todas as pessoas importantes da sua vida sabem da sua orientação sexual”, apenas 28% das pessoas bissexuais reportaram estar fora do armário.

4. De acordo com o Bisexual Research Center (BRC), 45% das mulheres bissexuais consideraram ou tentaram suicídio, seguido por homens bissexuais (35%), lésbicas (30%), homens gays (25%) e valores muito mais baixos para homens e mulheres hétero.

5. Na histórica primeira “White House Roundtable on Bisexual Issues” [Mesa Redonda da Casa Branca sobre Questões Bissexuais] de 2013, o Bisexual Research Center compartilhou que mulheres bissexuais tem duas vezes mais probabilidade de sofrerem de distúrbios alimentares do que lésbicas.

6. Em parceria com o BRC, o BiNetUSA e o Bisexual Organizing Project, a Nota Informativa da HRC , “Health Disparities Among Bisexual People” [Disparidades de Saúde entre Pessoas Bissexuais], destacou essas disparidades, que incluem taxas mais altas de câncer, doença cardíaca e obesidade e valores mais altos de HPV e outras doenças sexualmente transmissíveis, provavelmente derivados de uma falta de acesso a cuidado preventivo e a estarem dentro do armário para profissionais da saúde.

7. O Instituto Willians encontrou que 39% dos homens bissexuais e 33% das mulheres bissexuais reportaram não informar sua sexualidade para nenhum profissional da saúde, em comparação a 13% dos homens gays e 10% das lésbicas que não informam.

Tradução do texto de Helen Parshall para Human Rights Campaign
 

Siga o Alguém Avisa nos perfis oficiais no Twitter, no Facebook e no Instagram.