EXPOSIÇÃO ‘BICHA’ DO ARTISTA MIGUEL SOLL INICIA ESTA SEMANA NA CASA DE CULTURA

BICHA (TERMO NÁUTICO: CABO QUE TENSIONA A VALUMA – PARTE DE TRÁS DA VELA DE UMA EMBARCAÇÃO)

Miguel Soll
Curadoria: Juliana Proenço

Abre, no dia 29 de agosto, às 19h, no Espaço Maurício Rosenblatt da Casa de Cultura Mário Quintana, a exposição de fotografias Bicha (termo náutico), primeira individual de Miguel Soll, com curadoria de Juliana Proenço de Oliveira. A mostra foi contemplada no Edital de Ocupação do Instituto Estadual de Artes Visuais (IEAVi) 2018, integrando seu 3º Período Expositivo.

Bicha (termo náutico) parte da série Rachaduras, exposta em 2017 na Galeria Ecarta, expandindo-a, como num encontro entre rio e mar. Somam-se agora, aos registros do relacionamento à distância entre Miguel e Thomas, fotografias dos deslocamentos que ambos fizeram juntos (ou para se encontrar). A ausência de identificação dos locais convida à deriva. O tema náutico que serve de liame discursivo à mostra remete a outra ponte: entre arcaico e contemporâneo – presente também nas imagens. A comunicação se propaga por ondas. Bicha não é só um xingamento. São também os cabos que tensionam a vela de uma embarcação; que a empurram para a frente. Basta procurar no Google. 

Mesmo onipresente, o digital ainda não conseguiu se equiparar ao real. Navegar (para além da internet), tensionar as velas, deslocar-se continua sendo preciso. Se os perigos do passado – sereias, monstros marinhos, criaturas mágicas – foram afogados pela ciência, outras preocupações, tão ou mais surreais, persistem – preconceitos, silêncios, violências. Tanto na imensidão sublime do oceano, como na das telas, que nos cercam, sem nos preencher. Talvez a fugaz materialidade da fotografia seja incapaz de resolver todos esses paradoxos, de abolir essas distâncias. Mas é necessário tentar. Afinal, seguimos em mar aberto. 

SERVIÇO:

Abertura da Exposição “Bicha (termo náutico)” – 3º Período Expositivo – Edital de Ocupação IEAVi
Quando: 29 de agosto | quarta-feira
Horário: das 19h às 21h
Local: Instituto Estadual de Artes Visuais (IEAVi) – Espaço Maurício Rosenblatt – 3° andar da CCMQ (Rua dos Andradas, 736)
Visitação: de 30 de agosto a 30 de setembro
Horário de visitação: de terça a sexta-feira, das 9h às 18h; sábados e domingos, das 12h às 18h

SOBRE O ARTISTA:

Documento de uma realidade em processo, a obra de Miguel Soll transita entre os mais diversos campos da fotografia. Seja arte, documentação, moda ou ficção, suas fotos são o acúmulo de partículas de uma realidade híbrida entre o analógico e o digital, onde a lembrança serve como agente criador. Interessado na juventude e nas relações dos corpos com o seu ambiente, temas como sexualidade, memória, liberdade e pulso de vida são centrais em sua produção. Amplamente divulgado pela internet, já teve trabalhos publicados em sites de revistas como Dazed and Confused e Art Daskunstmag. Participou, também, de diversas exposições coletivas, com destaque para fotografia mostrada, em 2017, no Tate Modern, em Londres, como parte da convocatória #superflexcommunity. No mesmo ano, participou da mostra Circulação, na Galeria Ecarta, em Porto Alegre. 

SOBRE A CURADORA:

Juliana Proenço de Oliveira é formada em Direito e cursa o último semestre do Bacharelado em História da Arte, ambos pela UFRGS. Atua como curadora independente em Porto Alegre, onde já colaborou com projetos artísticos, participando de palestras e de outros eventos acadêmicos. É, ainda, colaboradora da plataforma Artikin na Capital.

Siga o Alguém Avisa nos perfis oficiais no Twitter, no Facebook e no Instagram.