SAVANNAH SIGMA DIVIDE: “ODEIO LAJOTAS SOLTAS EM DIAS DE CHUVA E TENHO MEDO DE CAIR DE MOTO”

Workroom além de ser um espaço amigável para o público LGBTQIA, também se tornou um dos espaços onde as artistas drags podem apresentar o seu trabalho. A Workroom (que prefere ser tratada no feminino mesmo) tem decoração inspirada nos cenários do reality show estadunidense RuPaul’s Drag Race) Assim como o programa que tem inspirado centenas de jovens a colocar para fora seu alter ego drag, provocando uma verdadeira eclosão de artistas essenciais da cena cultural LGBT da cidade, a Workroom procura incentivar cada vez mais que as drags tenham um espaço para apresentar a sua arte. Em parceria com a Workroom, o Alguém Avisa irá todas as semanas mostrar um pouco mais do trabalho realizado pelas Queens que se apresentam a cada sábado na Saturday Night Divas. Hoje você conhece um pouco do trabalho de Savannah Sigma que se apresenta neste sábado (30), a partir das 21h.
 
Savannah foi uma das maiores atrizes pornográficas dos anos 80/90. Ela ficou muito conhecida pela sua paixão por carros antigos e por namorar personalidades muito influentes da época, tendo uma morte trágica. Sua estética e a época em que viveu são influências para a personagem drag de Savannah Sigma. Assim como a maioria das drags da sua geração, se iniciou no mundo drag depois de conhecer Rupaul’s Drag Race. Ao lado da sua irmã drag Seripha, ela começou a se aventurar no mundo da montação, e se apaixonou por isso, aos poucos transformando em ofício.


Para a artista, a maior dificuldade em ser drag é o preconceito e a falta de valorização do trabalho. “Nós temos o costume de produzir a mão tudo o que usamos, muitas vezes levando dias para produzir um look. Quem nos vê num palco por 3:30 min, dificilmente compreende o trabalho enorme envolvido nisso” comenta Savannah. A drag conta que sua família toda sabe que performa, mas não entende muito bem. Eles aceitam, mas não procuram saber muito sobre o que é. Seu maior apoio vem de uma tia que adora o seu trabalho. Para ela, “nós já caminhamos muito, mas temos um caminho enorme pela frente. Hoje temos exemplos de drag queens nos grandes meios de comunicação, arrastando multidões ao mesmo tempo em que vemos uma crescente conservadora. Precisamos nos manter firmes para manter essa arte e essa mensagem vivas”, finaliza.
 
Antes da nossa ‘rapidinha’, pedimos para ela completar a frase “Alguém Avisa que…”, ao que ela finalizou dizendo: “Alguém avisa que chegamos para ficar”.
 
RAPIDINHA:
 
UMA PESSOA: Jenna Marbles
UM LUGAR: Um banheiro limpo, bem iluminado e com espelhos.
UM OBJETO: Pistola de cola quente. Salva vidas.
UMA PALAVRA BONITA: Latex
UMA PALAVRA FEIA: Buço
UM VICIO: Assistir tutoriais de coisas que eu nunca vou fazer, e gameplays de jogos que eu nunca vou jogar.
UM SONHO: Poder ser bem viada na rua e não ter medo.
PREGUIÇA: Fazer a barba.
PRAZER: Aquela dor do grampo de cabelo cravando no couro cabeludo.
RAIVA: De pisar em lajota de calçada solta depois da chuva.
FELICIDADE: Quando minhas divas lançam single novo.
TRISTEZA: Quando o single novo é ruim.
MEDO: Cair de moto e se ralar.
DRAG: Uma armadura.

Veja mais no site do Alguém Avisa e siga também as atualizações nos perfis oficiais no Twitter, no Facebook e no Instagram.